quarta-feira, fevereiro 13, 2008

Geração Morangos

De há uns dias para cá, as minhas conversas giram em torno da geração morangos com comentários do genero "Então, nao faz o k a mãe lhe manda, isso é de ver os morangos e por isso está uma rebelde" , " Lux só as sextas e sabados, pk as quintas é so morangada" , "O sudoeste não sao feios, porcos e maus, neste momento é a geração morangos mas sujos", o k eu tenho colhido destes comentários é k a "Geração morangos" é nem mais nem menos k miudos na casa dos 18 aninhos, com um ar todo fashion, elas com kilos de maquilhagem e com cenarios k me fazem sentir pessima quando me encontro ao lado de algumas, pois sao giras, magras, e altas, e eles com ar de surfistas fashions, e alguns sao girissimos, eu até vos dou aqui um exemplo, pois há uns dois anos andava completamente fascinada por um menino de 18 aninhos, o puto era girissimo, super simpatico e com charme, imaginem voces, charme aos 18 aninhos e ainda por cima super bronzeado, sim pk isto passou-se nos algarves. Ainda sai com a "criança" algumas vezes, pois estavamos no msm grupo de amigos, e ele transpirava simpatia e olhares de engate para comigo, claro k ainda rolou uns beijinhos e afins, mas acreditem k depois iamos os dois beber cafe e eu ficava com a impressao k tinha aspecto de ser mae dele (paranoias minhas), e mais uma das ultimas vezes k sai a noite fui reencontrar a "criança" no BBC, assim k o vi, lá cai eu de 4 novamente, e passei uma noite sentada numa mesa a conversa com ele, o Manel e o Simão so me diziam o k é k eu estava ali a fazer a olhar com ar fascinada para o puto, e a minha resposta foi " s voces soubessem o k me passa pela cabeça cada vez k o vejo", nessa msm noite descobrimos k somos practicamente vizinhos e ja algum tempo k as quintas feiras a noite lá recebo uma sms a convidar para cafes e para sair, claro k rejeito sempre o convite, e só o k me passa pela cabeça é k qualquer dia aceito e vou fazer parte da geração morangada pelo o menos uma noite...

As Cinco

As Cinco

kEM ESTÁ CÁ

As cinco fabulosas

As nossas (h)istórias