quinta-feira, julho 19, 2007

Isto há com cada uma...


Cheguei agora a casa, e a minha alminha está parva...

Vou contar o k me aconteceu, pois bem fui almoçar ao japones do campo pequeno, um almocinho calmo (claro k detestei a comida, vocês já sabem como eu sou com estas comidinhas, é chegar a casa e vai tudo pela "retrete" abaixo) depois do almoço um cafezinho numa esplanada, bom tudo perfeito... A seguir a isto meto-me a caminho de casa, a subir aquela maravilhosa subida da minha avenida, k é optima para se fazer a empurrar um carrinho de bebe, quando eis k um velhote me manda parar, eu como boa pessoa k sou lá parei, pensava k o senhor queria alguma informação, só para voces verem estava mt bem vestido, falava mt bem, e começou a perguntar se eu morava por estes lados, eu disse k sim, e então o sr resolveu contar-me a sua vida todaaaaaaaaaaaa, k também tinha morado por aqui, k era dono de predios nesta zona, mas k teve de vender tudo, pk o filho o levou a falencia, e o k é k o senhor keria??Pergntam vocês??? Pois bem, queria dinheiro para voltar de autocarro para a margem sul, pois é ai k vive agora, eu assim foi, joguei a mão a carteira para lhe dar uma pequena ajuda, e em moedas tinha cerca de dois euros e foi isso k lhe dei, mas não é k o cabrão do homem me perguntou, "Só? a menina não tem mais dinheiro? É k isto não dá para quase nada" obvio k lhe disse k não, mas ele estaria a pensar no k, k eu lhe ia dar 10 euros... As pessoas não podem andar boas, pensara k é só ele é k tem dificuldades...?

E aqui vai outro episódio do msm genero, no dia do final da taça de portugal fui ver o jogo com o Manel e mais pessoal ao café império na Almirante Reis, depois do jogo e de mtas imperias e petiscos, fui com a alexandra (socia do Manel) levar o Manel a casa, estavamos os 3 dentro do carro a rir e a dizer so coisas parvas, quando uma velhota bate a porta do carro a dizer k estava perdida e k precisava de ir apanhar o barco para a outra margem ao Cais do Sodre, e assim foi, estas 3 alminhas, meteram a senhora dentro do carro e rumaram a caminho do Cais do Sodre, desde o republica até ao cais lá fomos ouvindo a história da vida da senhora e quando ela se preparava para sair do carro, o k é k aconteceu, pediu dinheito para o barco, mais uma vez lá abri a carteira e contribui para a viagem...

Mas isto é o K??? Digam-me??? Qualquer dia vou para a rua conto a minha história e peço dinheiro para a Maria... já faltou mais...

As Cinco

As Cinco

kEM ESTÁ CÁ

As cinco fabulosas

As nossas (h)istórias